Pages Navigation Menu

CLIPPING SindCONDOMINIO-DF do dia 17/12/2018

CLIPPING SindCONDOMINIO-DF do dia 17/12/2018

Vem aí a festa de Confraternização Condominial com o lançamento da 4º edição da cartilha Tudo Síndico

O dia 17 de dezembro é dia de celebrar as conquistas de 2018 e mostrar o que queremos para 2019 no mercado condominial. É o melhor lugar para isso é junto com todo mundo que participa da construção do mercado condominial, com a participação de trabalhadores de condomínios, condôminos, conselheiros, subsíndicos, síndicos e prestadores de serviço para condomínios. Durante o evento haverá ainda o lançamento da 4º edição da cartilha Tudo Síndico e o amigo da onça condominial

O melhor lugar é na Confraternização Condominial 2018, com o grande amigo da onça entre síndicos e demais participantes.

O evento acontece numa segunda-feira, a partir das 17h. Todos os trabalhadores de condomínios, condôminos, conselheiros, subsíndicos, síndicos e prestadores de serviço para condomínios estão convidados, mas é preciso confirmar presença pelo link de inscrição. A festa acontece no salão de festas do condomínio Jardim Botânico VI, SH Jardim Botânico, Morro Azul (Lago Sul), CEP: 70297-400 Brasília – DF.

Durante o evento a cartilha Tudo Síndicos será lançada e entregue aos síndicos presentes no evento, a cartilha é composta por 128 páginas e tem dicas sobre administração de condomínios e anúncios de empresas reconhecidas pelo mercado pela sua excelência na prestação de serviços aos condomínios de nossa região.

Na oportunidade, também serão sorteados mais de 30 prêmios surpresas para os síndicos, subsíndicos e conselheiros de todo o Distrito Federal e Região Metropolitana.

Para saber mais: https://bit.ly/2A1WnTa

Seguro de prédio cobre até portão que bate em carro

Um condomínio luxuoso, à beira-mar, é inundado por uma onda gigante que leva toda a estrutura externa do local, como parquinho e objetos das áreas comuns, além de entrar nas casas, destruindo móveis e carpetes. Parece cena de filme, mas aconteceu em um residencial horizontal em Barra do Una, litoral norte de São Paulo, em 2015. Num dia de ressaca, o mar subiu tanto que atingiu todas as casas e as áreas comuns do condomínio. Os danos foram estimados em cerca de R$ 350 mil.

O valor poderia ter saído do bolso de cada morador, mas o problema foi atenuado por um seguro de condomínio, que cobriu os prejuízos. O custo que a administração pagava para manter o residencial segurado, na época, era de R$ 4.000 por ano, ou R$ 125 anuais para cada um dos 32 condôminos, conta Raquel Tomasini, gerente de produtos da Lello, administradora do bem.

Apesar de representar um gasto a mais na taxa do condomínio, essa situação ilustra como um seguro pode, a um valor baixo, poupar síndicos e proprietários de dores de cabeça e despesas de urgência.

Para saber mais: https://bit.ly/2PIIFte

 

Expansão, estacionamento e turismo: dez mudanças do novo Plano Diretor

Após mais de dois anos, as discussões sobre a atualização da política urbana de Santa Cruz do Sul se encaminham para a reta final. A Prefeitura entregou à Câmara de Vereadores na última sexta-feira o projeto de lei que institui o novo Plano Diretor, que vai orientar a expansão comercial, industrial e residencial do município no decorrer dos próximos anos.

A versão levada ao Legislativo contempla as indicações da comunidade coletadas após uma bateria de reuniões, consultas e audiências públicas nos últimos meses. Todas as indicações foram analisadas pelo Centro de Pesquisa e Qualidade Urbana e Rural (Cipur) e pelo Conselho Municipal de Planejamento Urbano (Compur).

Embora dezenas de projetos de empreendimentos estejam no aguardo do plano para serem tirados do papel, ainda não há previsão concreta de quando o projeto será aprovado, já que a Câmara entra em recesso na semana que vem e, se algum vereador apresentar emendas, o assunto terá de retornar para análise da Prefeitura e dos órgãos técnicos.

A última revisão do Plano Diretor ocorreu em 2007. Dentre as muitas alterações previstas, algumas das mais significativas atingem os futuros loteamentos no momento em que o município vive uma franca expansão imobiliária, sobretudo em regiões como Linha Santa Cruz e João Alves. Os condomínios, por exemplo, terão de se submeter a diretrizes urbanísticas apresentadas pela Prefeitura antes de sua instalação, e os loteamentos populares só poderão ser implantados em áreas previstas no plano.

Para saber mais: https://bit.ly/2QDEcNY

 

Síndicos profissionais devem incluir cláusula de não concorrência nos contratos com prepostos

Com a popularização da atividade, hoje não é raro ver gestores condominiais profissionais administrando 10, 20 ou até 50 condomínios de uma vez e esta grande demanda impede que aquele síndico consiga gerir pessoalmente aquela quantidade de condomínios, sendo necessária a figura do preposto.

Previsto legalmente no Código Civil, assim como o síndico, o preposto é o responsável por representar o síndico na sua ausência, praticando, ressalvada as peculiaridades de cada profissional, os mesmos trabalhos do síndico.

O que vem ocorrendo é que, de forma desleal, profissionais sem ética, assumem a figura de prepostos e se valem desta posição para “roubar” o condomínio do síndico e, como não há uma regulamentação específica para este tipo de atividade, aquele profissional acaba sendo contratado no lugar do antigo gestor. Diante desta situação de insegurança, muitos profissionais honestos que atuam como prepostos deixam de ser contratados em razão do medo do síndico profissional deixar seu cliente com um terceiro.

O que muitos não sabem é que a relação entre síndico profissional e preposto pode ser regulada por um contrato simples contendo uma cláusula de não concorrência que pode evitar que aquela pessoa tome para si o seu cliente.

Para saber mais: https://bit.ly/2QZ2LnT

 

Condomínio do DF multa moradores por enfeites de Natal pendurados na janela: ‘altera estética’

Moradores de um condomínio em Samambaia, no Distrito Federal, foram multados por terem colocado enfeites de Natal do lado de fora da janela. No entendimento do síndico, os arranjos e pisca-piscas ferem as regras internas, por apresentarem o risco de cair e por alterarem a estética da fachada.

Pelo menos sete moradores do Boulevard Jardim das Acácias foram penalizados, sem nenhuma advertência, de acordo com o grupo de residentes. Todos receberam uma notificação da multa, com a informação de que a cobrança ocorrerá já na fatura de janeiro. O valor é de 25% da taxa de condomínio, que varia para cada apartamento.

Ao G1, um dos moradores multados disse ter havido falta de compressão. “Mexeu com os sentimentos das crianças, dos idosos, de todo mundo daqui. Fiquei perplexo com isso. Natal é um momento de amor, de paz. Ele poderia ter sido mais razoável.”

Para saber mais: https://glo.bo/2QEJ3OX

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *